Loading
Carregando...

acoes | 13 novembro 2017

Saúde pública

FacebookTwitterWhatsApp

Construção de hospitais em regiões carentes da cidade

Durante sua gestão, o prefeito Gilberto Kassab ergueu três novos hospitais, todos eles em regiões muito carentes da periferia: Hospital Cidade Tiradentes, no extremo da zona Leste, Hospital M’Boi Mirim, na zona Sul, e o Serviço de Atenção Integral ao Dependente (SAID), em Heliópolis. Um quarto hospital, o São Luiz Gonzaga, na zona Norte, foi municipalizado, e a Prefeitura ainda ajudou, em 2012, a Beneficência Portuguesa a reabrir o Hospital Santo Antônio, na zona Leste, que atende exclusivamente pacientes do SUS encaminhados pela rede municipal. Com isso, a rede de hospitais municipais ganhou mais 998 leitos.

 


Assistência Médica Ambulatorial (AMA)

As unidades de saúde foram criadas em 2005 para agilizar o atendimento e diminuir as filas nos prontos-socorros e hospitais da cidade. A gestão Kassab fez a maior expansão da rede de saúde da história de São Paulo: foram 139 AMAs; o número de consultas na rede aumentou 54% e os exames realizados triplicaram.

 


Organizações Sociais de Saúde (OS) 

Introduzidas em 2006 na saúde pública paulistana, as Organizações Sociais de Saúde (OS) possibilitaram a parceria entre a Prefeitura e as melhores instituições privadas da cidade para melhoria do atendimento da população dependente do SUS. Ao longo da gestão de Gilberto Kassab, 5,2 milhões de pessoas foram atendidas.

 


Informatização das Unidades Básicas de Saúde (UBS)

Com a modernização realizada pela gestão Kassab, todas as UBSs passaram emitir o Cartão SUS, agendar consultas e registrar os atendimentos.

 


Nova Central de Medicamentos

O prefeito Gilberto Kassab informatizou totalmente a central responsável por estocar e distribuir remédios para todas as unidades de saúde da Prefeitura. Ao final de sua gestão, cerca de 5 milhões de itens foram distribuídos mensalmente e não faltavam mais remédios.

 


Programa Remédio nos Postos

No início da gestão Kassab, os estoques eram baixos e os controles não usavam computadores. Com a otimização na distribuição dos remédios, os medicamentos passaram a chegar com regularidade nos postos de saúde, beneficiando mensalmente 2 milhões de pessoas.

 


Programa Remédio em Casa

Iniciado em julho de 2005, ao final da gestão Kassab o programa Remédio em Casa estava presente em todas as unidades básicas da rede municipal, beneficiando sobretudo os pacientes hipertensos e diabéticos em tratamento na rede pública de saúde. Até o final de 2012, 1,5 milhão de receitas foram atendidas.

 


Programa Hospital Domiciliar de Atendimento e Internação Domiciliar

Criado em 2006, o PROHDOM visa o atendimento em domicílio de pacientes moradores na cidade de São Paulo, após alta hospitalar. Uma vez que 70% das doenças são passíveis de tratamento em domicílio, isso agiliza a alta hospitalar e o aumento na oferta de leitos. Mais de 200 mil visitas foram realizadas na gestão Kassab.

 


Estratégia Saúde da Família

Das 1.279 equipes de saúde visitando as famílias nos seus lares em 2012, 557 foram criadas pela gestão Kassab, resultando em um aumento de 77% no número de equipes. Os profissionais levam orientações e os serviços básicos de saúde à população, seguindo o modelo assistencial preventivo.

 


Mãe Paulistana: 700 mil partos realizados até 2012

Criada pela Prefeitura de São Paulo em março de 2006, a Rede de Proteção à Mãe Paulistana oferece assistência integral a gestantes de toda a cidade durante a gravidez, pós-parto e 1º ano de vida da criança, transporte gratuito e o enxoval para o bebê. Até 2012, 700 mil partos foram realizados.

 


Central de Telessaúde “Alô Mãe”

O programa teve início no último ano da gestão Kassab, oferecendo um canal de contato por telefone com gestantes com fatores de risco, que passam a contar com a assistência de profissionais de saúde desde a gravidez até o primeiro ano de vida do bebê – um complemento da Rede de Proteção à Mãe Paulistana.

 


Programa Parto Seguro

Dentro da Rede de Proteção Mãe Paulistana, o programa Parto Seguro foi implantado pela gestão Kassab em oito hospitais municipais em 2011, para prestar atendimento mais acolhedor e humanizado às gestantes. Estas ações de saúde à gestante e ao bebê resultaram em queda de 18% na mortalidade infantil.

 


Ampliação dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS)

Na gestão Kassab, os procedimentos na rede de saúde mental quase triplicaram. Além disso, foram implementados os primeiros CAPs 24 horas da cidade.

 


Hospital Veterinário Público

Em 2012 foi inaugurado o primeiro Hospital Veterinário Público do Brasil, na zona leste da cidade de São Paulo, como parte das ações da Coordenadoria Especial de Proteção a Animais Domésticos, criada pela gestão Kassab no dia 23 de junho de 2012.