Loading
Carregando...

arquivo | 15 maio 2009

Osaka: tecnologia de monotrilho japonês deverá ser utilizada em SP

FacebookTwitterWhatsApp

Em sua passagem por Osaka, no quinto dia da missão oficial ao Japão, o prefeito Gilberto Kassab conheceu nesta sexta-feira (15) o monotrilho local e avaliou que a tecnologia do metrô leve da cidade possui as características que os técnicos buscam para a construção do trecho final do Expresso Tiradentes. No mês passado, o prefeito de São Paulo e o governador José Serra anunciaram que os 20 quilômetros finais do corredor que ligará o centro à Cidade Tiradentes, na Zona Leste, serão construídos utilizando esse modelo, em via elevada.

Depois de conhecer a experiência de Tóquio com o monotrilho, Kassab e o secretário de Transportes, Alexandre de Moraes, percorreram um trecho do metrô leve de Osaka, que tem quase 25 quilômetros de extensão. Ambos saíram convencidos de que esse modelo corresponde às características identificadas para o Expresso Tiradentes. “Esse tipo de transporte é realmente moderno, rápido, simples de ser construído. Acredito que ele será uma importante alternativa para o transporte público de São Paulo. Eu e o secretário Alexandre de Moraes estamos convencidos de que devemos investir nosso tempo na preparação dos nossos técnicos para que eles possam conhecer melhor esse modelo e, em parceria com o Metrô, procurar, o mais rápido possível, construir o Expresso Tiradentes, em sua etapa final, com essa tecnologia”, declarou.

Para o secretário Alexandre de Moraes, a tecnologia utilizada no monotrilho de Osaka é mais próxima das necessidades de São Paulo e deve ser melhor avaliada pelos técnicos brasileiros. “Aqui em Osaka existe uma grande vantagem, porque utiliza uma tecnologia mais moderna, que se adequa bem a São Paulo, ao Expresso Tiradentes e ao que nós pretendemos para o sistema, que é transportar 35 mil pessoas por hora. Portanto, o monotrilho de Osaka é uma possibilidade muito boa para o transporte público de São Paulo”, disse o secretário.

Os investimentos previstos para o trecho final do Expresso Tiradentes são de R$ 2,3 bilhões, sendo R$ 1 bilhão da Prefeitura e o restante do Governo Estadual. A expectativa é de que a linha esteja totalmente concluída até o final de 2012.

Crematório

Antes da visita ao monotrilho, o prefeito e a comitiva visitaram o crematório de Kita, o segundo maior da cidade, para conhecer a técnica utilizada nesse tipo de serviço. O Japão possui tradição na área e apenas em Osaka existem cinco crematórios, onde foram realizados, somente em 2008, quase 29 mil cremações. A cidade de São Paulo, que tem população quase cinco vezes maior que a de Osaka (e apenas um crematório), faz, em média, menos de 20 cremações por dia, o que corresponde a cerca de sete mil por ano.

“Nessa viagem ao Japão, estamos procurando conhecer a operação na maior parte dos serviços públicos, até porque o Japão é um país muito avançado, com tecnologia de ponta, e para nós é muito importante ver de perto o que se faz aqui. O serviço funerário é algo muito relevante e deve ser prestado de maneira eficiente, muito respeitosa. Por isso será muito importante para nós levarmos as informações aqui recebidas e aprimorar o serviço que prestamos em São Paulo”, afirmou o prefeito.

Segundo o secretário Alexandre de Moraes, que acumula a secretaria de Serviços, o crematório paulistano está praticamente no limite operacional e por isso necessita de um processo de modernização. “Estamos realizando uma revisão do planejamento para dotar São Paulo, que possui o maior crematório do país, de tecnologia avançada nesse serviço” revelou.

Cidades irmãs

O prefeito também participou hoje de cerimônia em comemoração aos 40 anos da assinatura do convênio de cidades irmãs entre São Paulo e Osaka. Na sede da Prefeitura local, Gilberto Kassab assinou com o prefeito da cidade japonesa, Kunio Hiramatsu, um termo de comprometimento em diversas áreas, especialmente ligadas ao meio ambiente, e inaugurou uma exposição de fotografias de São Paulo, instalada no edifício.

Após a cerimônia, a comitiva brasileira participou de uma reunião em que foram demonstradas algumas experiências da administração pública de Osaka, com destaque para o sistema de transportes e o tratamento da água. Em 2010, a cidade japonesa irá participar da Expo Shanghai (encontro na cidade chinesa com exposições sobre as políticas públicas mais bem sucedidas no mundo) com o tema “Metrópole da Água”. São Paulo também deve participar do encontro apresentando o projeto Cidade Limpa.

Acompanharam o prefeito na agenda de hoje os secretários Alfredo Cotait Neto, de Relações Internacionais; Alexandre de Moraes, de Transportes e Serviços; Rodrigo Garcia, de Modernização, Gestão e Desburocratização e Marcelo Branco, de Infra-Estrutura Urbana e Obras.