Loading
Carregando...

arquivo | 11 dezembro 2018

MCTIC lança planos de ação para setores estratégicos

FacebookTwitterWhatsApp

“O desenvolvimento da Ciência, da Tecnologia e Inovação é decisivo para o crescimento econômico e também para a soberania nacional. A história demonstra que aqueles países que apostaram em ciência, tecnologia e inovação deram grande salto econômico.

A Estratégia Nacional de Ciência e Tecnologia traz diretrizes de políticas públicas para setores estratégicos do Brasil.

Nesta terça-feira lançamos os 12 planos de ação em Ciência, Tecnologia e Inovação, organizados pela Secretaria de Políticas e Programas de Desenvolvimento do MCTIC, que são desdobramento da Estratégia Nacional.

São planos referentes a setores vibrantes e essenciais a um país que se pretende moderno; temas como bioeconomia, biotecnologia, oceanos, saúde e clima.

São linhas para aquilo que é chave do desenvolvimento científico brasileiro, como biomas, extensão tecnológica, pesquisa agropecuária, e pesquisa antártica bem como outros temas-chave para um país mais desenvolvido e justo: segurança alimentar, popularização da ciência e ciências humanas.

São assuntos alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e que foram construídos pela Secretaria de Políticas e Programas de Desenvolvimento em estreito diálogo com a Comunidade Científica.

Importante nesse sentido dar destaque à bioeconomia. Seu plano de ação foi intensivamente construído com outros ministérios, Universidades e Institutos de pesquisa.

Propusemos neste ano a criação do Observatório Nacional da Bioeconomia e do Comitê Nacional da Bioeconomia. É o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações presente e articulado com a sociedade em setor de vanguarda na produção científica, e que traz impacto à sociedade.

É sempre importante lembrar também a popularização da ciência. Promover o conhecimento e o reconhecimento do papel do saber científico sem dúvida faz do Brasil um país melhor e é ferramenta de inclusão e melhoria do ensino. A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia é um exemplo disto.

Os Planos de Ação são um legado para o próximo governo e para os próximos anos. Resultado do trabalho desta grande equipe técnica que compõe o ministério, a Seped, e que luta pelo “fazer ciência” como uma agenda prioritária para o Brasil.

Este ministério, em meio à constante luta, em meio a restrições orçamentárias, entregou grandes projetos como o Sirius, o Satélite Geoestacionário, os editais de pesquisa, e o maior edital da história do CNPQ. Além disso, atuou na continuidade de outros programas estruturantes como a reconstrução da Base Antártica, o Proantar e deu andamento ao navio de pesquisas Vital de Oliveira.

Graças a todos, tivemos dois anos de esforços e resultados. E é bastante gratificante ter coordenado isto, também ter feito parte disto, e ter visto isso e muito mais acontecer.

Brasília, 11 de dezembro de 2018