Loading
Carregando...

Biografia

O engenheiro que virou político

Num depoimento gravado em vídeo sobre Gilberto Kassab, seu aluno de engenharia da Escola Politécnica da USP, o professor João Antônio Del Nero observou: “ele faz parte de um grupo de engenheiros que têm sensibilidade social. Os engenheiros esquecem, às vezes, que trabalham para a sociedade. Não adianta fazer uma grande ponte que não serve pra nada; é melhor fazer um corredor que atende melhor a população de baixa renda”. Esse engenheiro com sensibilidade social descrito pelo professor Del Nero, além de bom aluno, já revelava na universidade possuir um apurado senso político. E por causa disso, Kassab era um interlocutor importante na faculdade, junto aos docentes.

Kokei Uehara, também professor de Kassab na Poli, definiu em 2007: “Discreto, Gilberto Kassab é integrante de uma geração de políticos que valorizam o conhecimento, o profissionalismo e as ações técnicas na administração pública. Conquistou espaço no mundo político por ser bom articulador e rápido nas tomadas de decisões”.

Kassab gosta de política e de ser político. Reconhecido articulador de aguçado senso estratégico, Kassab é também um administrador de respeito. Sua formação pela USP (Universidade de São Paulo) em Engenharia e Economia – áreas que requerem raciocínio e planejamento – aliada à habilidade política e determinação fizeram dele um administrador público ousado, inovador e extremamente capaz. Ao definir a política como vocação e gestão pública como opção, Kassab tomou a decisão de dedicar todo o seu tempo e seus esforços para cumprir essa missão.

Uma trajetória política e administrativa intensa

Foram mais de 20 anos em cargos públicos: começou em 1993 como vereador, depois deputado estadual, secretário municipal de Planejamento de São Paulo, duas vezes deputado federaloito anos na Prefeitura da cidade de São Paulo e quatro anos à frente dos ministérios das Cidades, em 2015, e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, desde 2016. Vice-prefeito em 2005, Kassab assumiu a Prefeitura quando José Serra concorreu ao Governado do Estado, em 2006.

Reeleito prefeito em 2008, Gilberto Kassab deixou sua marca na administração da maior metrópole da América Latina. Iniciativas como o Projeto Cidade Limpa e o Portal da Transparência são até hoje reconhecidas e aplaudidas. Kassab encerrou seu mandato de prefeito de São Paulo em 2012, o primeiro e, atualmente, único reeleito na capital paulista.

Convidado pelo reitor da Universidade de São Paulo para ser residente na USP compartilhando no âmbito da Universidade sua larga experiência de gestor público, Kassab participou em 2013 da criação do projeto USP Cidades, núcleo de estudos que busca a partir da pesquisa aplicada incidir no debate público, colaborando para transformar conhecimento em inovação para a implementação de soluções urbanas. Naquele ano, Kassab participou como docente da disciplina de difusão “Planejamento e gestão de megacidades”, oferecida dentro do Programa de Educação Continuada da Escola Politécnica da USP, lecionada de forma conjunta por especialistas e professores da universidade.

Além disso, Kassab dedicou-se à política partidária, consolidando o PSD (Partido Social Democrático), fundado em 2011 por ele e outras importantes lideranças nacionais.

A marca da transparência nas ações e na forma

A gestão de Gilberto Kassab à frente da Prefeitura de São Paulo foi  marcada por ações inéditas e polêmicas. A decisão de dar transparência à situação financeira da administração municipal, permitindo que qualquer cidadão tivesse acesso fácil aos dados fez da transparência mais do que uma marca de gestão. A transparência é um conceito que Kassab assimilou e incorporou em toda a sua carreira administrativa.

Determinação, responsabilidade e vontade política

Político, administrador. Gilberto Kassab é um cidadão público preocupado em obter resultados práticos para melhorar a vida nas cidades, atuando onde mais se faz necessária a presença do poder público. Pragmático e determinado, ele foi responsável pela criação e implantação de uma série de ações voltadas para a melhoria e o bem-estar social.

Das Cidades à Ciência e Tecnologia

Dois anos após ter deixado a Prefeitura de São Paulo, em 2015 Kassab voltou à gestão pública ao assumir o Ministério das Cidades, dando continuidade ao seu trabalho na área de desenvolvimento urbano. Melhorar a qualidade de vida das pessoas, facilitando o seu dia-a-dia, continuou sendo sua principal meta quando, em 12 de maio de 2016, assumiu o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Hoje, como fatores transformadores da vida moderna, grandes avanços tecnológicos e científicos são colocados a serviço da sociedade o tempo todo. O conforto e o bem-estar atingem outro patamar e as necessidades mudam: estamos falando de inclusão digital, conectividade, cidades inteligentes, eficiência, rapidez.

No Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, ao incentivar as práticas inovadoras e buscar recursos investindo no desenvolvimento científico e tecnológico do país, Kassab segue fazendo o que sempre fez como pessoa pública e cidadão, trabalhando para deixar a vida das pessoas cada dia melhor.

“Estamos conscientes do complexo trabalho que temos que desenvolver com estados e municípios. Um trabalho que vai exigir sempre criatividade e coragem nas inovações”. Discurso de posse como Ministro das Cidades – 05.01.2015


Desafio: um novo ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações

Em maio de 2016, quando Gilberto Kassab assumiu o ministério seu primeiro grande desafio foi conduzir a fusão do antigo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação com o Ministério das Comunicações. O objetivo foi, primeiramente reorganizar os ministérios e otimizar o uso de seus recursos. Além disso, a nova configuração aproximou áreas com temas conexos, como as secretarias de de Telecomunicação e de Política de Informática, permitindo maior sinergia entre as áreas de Tecnologias da Informação e Comunicação.

O novo ministério, além de herdar as competências dos órgãos de origem, recebeu a missão de articular com os governos estaduais e com a sociedade civil as diretrizes para as políticas nacionais de ciência, tecnologia e inovação. Essa nova competência foi imediatamente colocada em operação pelo ministro Kassab com a recomposição do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia, que não se reunia há dois anos. O conselho é uma ferramenta primordial para o desenvolvimento da área de pesquisa científica e tecnológica, aproximando governo, academia e sociedade civil.