Loading
Carregando...

noticias | 13 março 2019

CNPq concede Menção Especial a Kassab

FacebookTwitterWhatsApp

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) anunciou em 11 de março de 2019 os nomes dos pesquisadores eméritos de 2019, além da menção especial de agradecimentos da entidade de fomento à pesquisa científica do Governo Federal.

Foram escolhidos dez nomes para o título de Pesquisador Emérito como reconhecimento pelo conjunto de sua obra científico-tecnológica e por seu renome junto à comunidade científica, e quatro menções especiais a personalidades que atuaram em prol da ciência no ano de 2018. Os pesquisadores e as pesquisadoras homenageadas recebem, além do título e diploma, diárias para participação em congresso científico, no país ou exterior.

Um dos nomes homenageados com a menção especial da instituição foi o ex-ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab:

“Por dois anos, no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, trabalhamos perto dessa entidade e buscamos travar a sua luta: por recursos e soluções para destravar o progresso científico. Estão sendo reconhecidos nomes de excelência em diversas áreas, da Medicina à Economia, das Ciências Sociais à Engenharia, lembrando mais uma vez a importância do conhecimento para o nosso País. Parabéns a esses pesquisadores, e humildemente agradeço também a menção ao meu nome”, declarou Kassab.

Em entrevista, o engenheiro eletricista Mario Neto Borges, presidente do CNPq, destacou o diferencial da gestão Kassab no MCTIC: 

“Kassab tem grandes diferenciais, características fundamentais para um bom gestor em ciência e tecnologia. Primeiro lugar: sabe ouvir as pessoas que entendem do assunto. Ele é um político natural, soube ouvir as entidades – SBPC, ABC, Confap, Consecti (entidades representativas dos pesquisadores brasileiros) e as grandes inteligências brasileiras na área de ciência, tecnologia e inovação. Em segundo: o ministro tem que montar uma boa e competente equipe, e Kassab soube fazer isso não só no núcleo do Ministério, mas também nas agências e institutos vinculados ao órgão. Isso é muito importante. O terceiro aspecto, que penso ser crucial, é ter acesso direto ao Presidente da República. Capacidade de diálogo com o presidente, de ajudá-lo a resolver os problemas que precisam ser resolvidos e conseguir os recursos necessários. O ministro precisa ter força política para empreender o que é necessário. Nesta nossa área isso é fundamental”, disse Borges. 

Fontes: CNPq e PSD