Loading
Carregando...

noticias | 21 maio 2019

Kassab: ‘Investir em pesquisa científica aumenta a produtividade’.

FacebookTwitterWhatsApp

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, destacou nesta terça-feira (21) estudo apresentado em encontro internacional de agências de fomentos à pesquisa organizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), e pelos órgãos similares à agência paulista na Alemanha, DFG, e Argentina, Conicet, que demonstra que a cada real dispendido no desenvolvimento científico em agricultura e pecuária o crescimento do setor chega a R$ 10 ou R$ 12.

O levantamento é resultado da pesquisa “Contribuição da Fapesp ao desenvolvimento da Pesquisa no Estado de São Paulo”, e foi construído pela Escola Superior de Agronomia Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq-USP), com apoio da Fapesp.

O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio de São Paulo representa cerca de 20% do PIB do Brasil, segundo dados da Esalq.

Kassab, ex-ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, reafirmou a importância de investimentos públicos para a pesquisa científica. “Seja para ciência aplicada, como é o caso, e também temos de lembrar que também a ciência básica, aquela que não traz resultado imediato, demanda investimentos. E mesmo que seus resultados não sejam imediatamente tangíveis e venham a mais longo prazo, certamente trarão grandes impactos econômicos”, pontuou.

É grande o desafio enfrentado pelos cientistas mundo afora e foi tema global do evento de intercâmbio, muito presente, inclusive, no momento vivido pelo Brasil: “Como obter e demonstrar o impacto da pesquisa financiada com recursos públicos”.

“É preciso que o Brasil esteja inserido globalmente, e que a ciência brasileira participe dos grandes debates”.

O encontro anual do Conselho Global de Pesquisa (Global Research Council) reuniu em São Paulo lideranças das 52 maiores agências governamentais do mundo de 50 países, e o evento teve também como uma das metas apresentar iniciativas para aumentar a participação de mulheres na pesquisa científica, o que se insere nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) estabelecidos pela Organização das Nações Unidas.

O presidente do PSD lembrou uma série de agendas internacionais promovidas no MCTIC ao citar o encontro que a Fapesp organizou e reforçou a importância de uma relação com a comunidade científica internacional e de intenso intercâmbio. “É preciso que o Brasil esteja inserido globalmente, que a ciência brasileira participe dos grandes debates, seja captando conhecimento, seja apresentando tudo aquilo que desenvolve por aqui”, afirmou.

Na gestão de Kassab no MCTIC foram promovidas iniciativas de intercâmbio com o bloco União Europeia, e individualmente com Alemanha, Suíça, Portugal, Espanha, e também com China, Argentina, Estados Unidos, África do Sul, entre outros países. Além disso, foi remodelada a Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep), agência federal de fomento à pesquisa e inovação, que recebeu aporte inédito de recursos, da ordem de US$ 1,5 bilhão para financiamento a projetos em inovação e pesquisa no país, e o CNPQ (Conselho Nacional de Pesquisa Científica e Tecnológica) recebeu apoio para lançamento de diferentes editais, como o maior de sua história, e a manutenção de suas bolsas de pesquisa em meio aos contingenciamentos promovidos pela então equipe econômica do Governo Federal.

Evento na Fapesp

Além do debate principal e intercâmbio de informações no evento promovido pela Fapesp e agência de fomento de outros países, foram organizados workshops sobre infraestruturas de pesquisa na América Latina, sobre pesquisa com foco em desenvolvimento sustentável, e colaboração científica entre pesquisadores no Brasil e do European Research Council, conselho de pesquisas científicas da União Europeia.