Loading
Carregando...

Prioridades

Saúde pública

Saúde é um dos setores de extrema relevância para o país e recebeu minha atenção durante toda minha vida pública.

Quando fui prefeito, ampliei o número de médicos e hospitais na cidade de São Paulo, e também promovi avanços importantes como a criação das unidades de Assistência Médica Ambulatorial (AMAs). Também regularizei e expandi a distribuição de remédios para a população.

O que fiz foi investir na informatização, no controle do estoque, e em parcerias com distribuidores. Esse trabalho veio dar mais qualidade e mais eficiência ao atendimento público de saúde. Pacientes com doenças crônicas passaram a receber remédio em casa, pelos Correios. Uma comodidade que é um direito da população, afinal de contas as pessoas pagam impostos para serem bem atendidas.

No Ministério das Cidades trabalhei pelo acesso da população à moradia digna e saneamento básico. Atualmente, no Ministério da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações, realizo acordos de cooperação bilaterais com países que tem papel reconhecido no desenvolvimento de pesquisas em parasitologia. Entre outras atividades, o ministério também participa de encontros onde cientistas compartilham o conhecimento para o controle e enfrentamento de agentes transmissores de patologias como a zika e a doença de chagas.

Enquanto isso, o primeiro Satélite Geoestacionário Brasileiro, lançado ao espaço em 2017, permitirá levar banda larga a qualquer equipamento de saúde pública do nosso país, comprovando que melhores condições de saúde para a população estão intrinsecamente atreladas ao avanço das comunicações, da tecnologia e da ciência.

A legislação preconiza um investimento de 15% de recursos municipais de saúde. Na prefeitura de São Paulo chegamos a investir 22% do orçamento.

ATENDIMENTO ESPECIAL À GESTANTES E MÃES
Criado em 2006, o programa Mãe Paulistana atende as gestantes durante todo o período de gravidez até o primeiro ano de vida da criança. O projeto inclui o Parto Seguro que presta atendimento acolhedor e humanizado às gestantes, com monitoramento da hora do parto e acompanhamento de especialistas. Em maio de 2012 entrou em funcionamento a Central de Telessaúde Alô Mãe: um canal de contato para gestantes com fatores de risco.
REMÉDIOS PARA A POPULAÇÃO
Com o programa Remédio em Casa, mais de 281 mil pessoas que precisam de medicamentos de uso contínuo passaram a recebê-los em suas residências. A distribuição é feita pela Nova Central de Medicamentos, totalmente informatizada, que estoca remédios para as unidades de saúde da Prefeitura.
MODERNIZAÇÃO DAS UNIDADES DE SAÚDE
Como o sistema integrado Siga Saúde todas as Unidades Básicas de Saúde foram informatizadas, permitindo agendamento de consultas, emissão do Cartão SUS e registro de atendimentos.